Qual a diferença entre front-end e back-end?

Compartilhe com seus seguidores:

Cada vez mais, os programadores de hoje em dia decidem mergulhar no fascinante universo front-end e back-end.

Existem muitas razões para isso! Há aqueles que amam design gráfico e querem dar um passo além, levando suas criações para a interface de um website, até aqueles que gostam de esmiuçar bancos de dados e API’s, ou explorar o funcionamento interno dos servidores – ou, em outras palavras, explorar tudo aquilo que os usuários não podem ver.

Dependendo da paixão de cada um, a especialização pode ser feita em front-end ou back-end.

Embora a tecnologia não pare de evoluir, e que esses dois campos estejam cada vez mais interligados, ainda existem algumas diferenças importantes que os separam.

As habilidades necessárias para trabalhar com back-end e front-end são muito parecidas, mas ainda é preciso alguns conhecimentos específicos e inerentes a cada um, e é sobre isso que vamos nos especificar aqui no blog.

O lado atrativo do desenvolvimento front-end

Como o próprio nome já sugere, o desenvolvimento front-end abrange a configuração e o design de tudo o que nós vemos quando usamos um site ou um app.

É o lado visual do trabalho que normalmente atrai os programadores que se interessam por design gráfico.

A tarefa do desenvolvedor front-end é criar interfaces bonitas e intuitivas, tornando a experiência do usuário muito fluida e objetiva.

Para desenvolver essas interfaces, os programadores usam três linguagens principais:

  • HTML;
  • CSS;
  • JavaScript.

É importante dizer que especialmente a linguagem JavaScript vem ganhando espaço no desenvolvimento front-end, substituindo outras tecnologias, como a JQuery, por exemplo.

Outros frameworks foram criados dentro do JavaScript, como o React e o Angular, que facilitam o trabalho de um programador e que permitem a criação de elementos que são posteriormente replicados em outras áreas da plataforma em construção.

Para trabalhar com front-end, também é preciso dominar ferramentas que não são tradicionalmente usadas por programadores, como softwares de edição de imagens e criação, são eles:

  • Photoshop;
  • Figma;
  • Sketch;
  • Adobe XD;
  • Illustrator;
  • Corel Draw
  • Entre outros que permitem criar protótipos e visualização da navegação.

Como desenvolvedor front-end, seu trabalho é usar todas essas tecnologias e linguagens para construir o visual e o design do app ou do site em questão, com o grande objetivo de gerar um certo sentimento entre os usuários para que eles tenham vontade de concretizar algo dentro da solução, como a tão falada CONVERSÃO. Não é uma tarefa fácil!

Por que você optaria pelo desenvolvimento back-end?

Aqueles que decidem por se especializar no desenvolvimento back-end são aqueles que preferem configurar bancos de dados, descobrir como otimizar o desempenho do servidor e assim poder lidar adequadamente com a carga de trabalho.

São, ainda, aqueles que sabem tirar proveito dos recursos que as APIs de terceiros podem fornecer para alcançar funcionalidades excelentes.

Ou seja, um desenvolvedor back-end lida com tudo o que está fora da visão dos usuários que visitam um site ou um app e fornecem seus dados para registrar ou fazer uma compra nessa plataforma.

Os desenvolvedores back-end usam muitas linguagens de programação diferentes no dia a dia, como o PHP, Ruby, Python, Java, JavaScript ou Node.js (Back-end e front-end).

O trabalho deles é garantir que os sites funcionem sem problemas e otimizar o tempo de resposta.

Atualmente, o trabalho de um desenvolvedor back-end é cada vez mais valorizado, já que as páginas se tornaram cada vez mais dinâmicas e demandam atualizações constantes.

Além disso, eles precisam ter bastante conhecimento sobre bancos de dados relacionais, como o MySQL e o Oracle, e bancos de dados não relacionais, como o MongoDB.

Front-end e Back-end –  o melhor dos dois mundos

Se você se interessa tanto pela parte de design de front-end, quanto pela parte do desenvolvimento back-end, é possível direcionar a sua carreira para se tornar um Full-stack Developer.

Embora ainda exista algum ceticismo em torno desse perfil, considerando que é melhor se especializar em uma área ou em outra, a verdade é que as empresas estão investindo cada vez mais em Full-stack Developers.

Estes profissionais são capazes de desenhar as interfaces, como conseguem dominar toda a infraestrutura que existe no back. São excelentes para “desenhar” toda uma arquitetura da solução e lidar/liderar toda a equipe do projeto.

Todas essas habilidades são muito procuradas pelas empresas de tecnologia, o que pode ser uma grande vantagem na hora que você quiser entrar no mercado de trabalho e no mundo da programação/desenvolvimento.

E então, front-end ou back-end? Dica do blog: Se está começando agora seus estudos em desenvolvimento/programação, opte pelo front-end. Domine o HTML, CSS e JavaScript. Eles te darão um excelente suporte e facilitarão o entendimento dos estudos em back-end. Além disso, de quebra, acabará tornando um Full-stack Developers.

Bons estudos!


Compartilhe com seus seguidores: